Carnaval 2019: Esse ano não haverá pão e circo - Por Rubson Luiz

Carnaval 2019: Esse ano não haverá pão e circo - Por Rubson Luiz

Pela primeira vez, o prefeito Hildon Chaves agiu certo. Não dar dinheiro às agremiações carnavalescas era algo que boa parte da população já defendia, uma vez que o dinheiro gasto nunca retorna qualitativamente aos cofres públicos, pelo contrário, exige uma estrutura dispendiosa para dar suporte a uma folia sem atrativos e benefícios sociais.            

Mas por trás da decisão política de Hildon Chaves, há algumas questões que não é apenas o uso de dinheiro público para festas populares, algo que sempre aconteceu, apesar dos protestos de boa parcela da população. A questão da realidade do País é apenas uma saída estratégica, pois, na realidade, a situação do país, já teve bem pior, e nem por isso os repasses deixaram de ser feitos.

Hildon usou um pouco de coerência, pois dias atrás ele esteve na posse de Bolsonaro, de quem espera uma atenção maior para os problemas da capital. Bolsonaro já avisou que não vai dar dinheiro para escolas de samba e logo, Hildon não pode pedir dinheiro ao presidente, se continuar jogando dinheiro público fora com o carnaval. Isso iria depor contra o esperto ex-promotor de Justiça.

A segunda questão é ainda mais importante: comerciantes e lojistas da Carlos Gomes, e Sete de Setembro estão unidos para dar um novo rumo ao carnaval de rua de Porto Velho. Eles alegam que não são contra a folia, mas querem ver a ´banda´ passar bem longe de seus estabelecimentos. O prefeito já conversou com vários comerciantes contrários ao carnaval e ouviu várias reclamações sobre a folia.

A terceira questão é menos importante. A Preeitura, de fato, apesar de ser a ´dona do carnaval´ do município, nunca, de fato, agiu como se fosse dona da folia. Sempre se curvou aos caprichos do Ministério Público e da Polícia Militar, e da Semtran e seus agentes que sempre se transformam nas grandes vedetes do período momesco. A Prefeitura sempre deixou nas contas das agremiações, as ações do carnaval, por isso a coisa sempre foi desorganizada e nunca deu certo.

Hildon agiu certo porque soube olhar a situação com o um todo e trilhar o caminho político. As agremiações a partir de agora terão que se organizar, e ir buscar suas próprias independências e depender o mínimo possível do dinheiro do contribuinte. É hora de profissionalizar e fazer do carnaval uma festa onde se gera mais emprego e renda, e menos lixo!!!!

Fonte: Rubson Luiz
Publicada em 07 de janeiro de 2019 às 13:18

 

Leia Também

Flávio Bolsonaro comprou R$ 4,2 milhões em imóveis em três anos

De acordo com o filho do presidente, seu salário como deputado estadual, de R$ 25 mil, é o menor de seus rendimentos mensais

Moro e Bolsonaro são proibidos de comentar investigações do Coaf

Planalto quer evitar desgastes no governo federal. No entanto, silêncio do filho mais velho do presidente revolta ministro e militares

Maurão e Lebrão passam bem após acidente com trator em fazenda

Os dois sofreram cortes na cabeça, foram medicados e estão fora de perigo

MP recomenda exoneração de servidores comissionados em Theobroma

Conforme ressalta o MP, a investigação pretende, ao fim, possibilitar a todos a chance de ingressar na carreira pública por meio de concurso

Envie seu Comentário