PREFEITO E VEREADORES; A corrida começou - Por Valdemir Caldas

PREFEITO E VEREADORES; A corrida começou - Por Valdemir Caldas

No próximo ano, o portovelhense voltará às urnas para escolher prefeito e vereadores. É a oportunidade de que dispõe o eleitor para, por meio do voto seletivo e consciente, corrigir eventuais erros. Oficialmente, ainda não foi dado o tiro de largada, mas, nos bastidores, as articulações e os acordos políticos avançam em ritmo frenético.

No caso especifico da eleição para a Câmara Municipal de Porto Velho, muitos são os que se julgam preparados para ocupar uma das vinte e uma cadeiras do parlamento municipal, mas nem todos têm o conhecimento necessário das nuances da função que pretendem pleitear. Alguns não têm a menor ideia do que seja o papel do vereador. Por conta disso, já tem gente prometendo ao eleitor desavisado aquilo que jamais conseguirá cumprir, uma vez eleito.

Aliás, em quase todo o processo social, onde quer que as relações humanas existam, a hipocrisia costuma relevar-se, sendo, com maior desembaraço no período eleitoral. O eleitor preciso ficar atento para não deixar-se seduzir por promessas vãs e palavras que não encontram correspondência na prática de candidatos.  

A Câmara Municipal de Porto Velo já acolheu em seus quadros homens da têmpera de Abelardo Castro, Cloter Mota, Antonio Serpa do Amaral, Paulo Struthos e João Bento, apenas para ficar nesses cinco exemplos, mas há outros, de memoráveis lembranças. Foram políticos atuantes e versáteis, respeitados, inclusive, por adversários. Ainda hoje, seus nomes são lembrados, como sinônimos de honradez e de coragem.

Quem não sente falta da oratória e da verve de um Lucindo Quintans, sem dúvida um dos melhores oradores da história do parlamento municipal, à época. E o que dizer, também, da lucidez de análise, da intrepidez e do poder de negociação do ex-vereador Paulo Struthos. Independente de coloração partidária ou ideológica, eles souberam exercer com dignidade e brilhantismo o mandato para o qual foram eleitos.

Aos poucos, porém, esse vazio vem sendo preenchido por parlamentares de atuação politica e conduta ética análogas. Poderia citar vários nomes, mas prefiro não fazê-lo, até para não correr o risco de cometer injustiça, apesar de ainda sermos obrigados a ouvir “caputo” ao invés de “caput”, dentre outras baboseiras do gênero. Erra, pois, quem pensa que o eleitor existe para ser enganado. O povo pode – e muito – quando é posto em brios e lhe é assegurado o espaço democrático do livre exercício da vontade. O desempenho de mandatos vinculados aos anseios da população mostrar-se o melhor cabo eleitoral de qualquer candidato. A corrida começou. E o eleitor precisa ficar de olhos abertos e ouvidos aguçados.

Fonte: Valdeir Caldas
Publicada em 19 de dezembro de 2019 às 10:26

 

Leia Também

Hospital de Campanha não saiu por culpa do MP e do Tribunal de Contas, diz Jair Montes

Capital chega no pico da pandemia sem leitos suficientes para tratar pacientes

Deputado Lebrão acompanhando a reforma e ampliação da Ciretran em São Miguel do Guaporé

Estão sendo investidos R$ 600 mil nas obras, atendendo a uma indicação do parlamentar

Laerte Gomes anuncia a liberação de R$ 1,360 milhão para apoiar Presidente Médici

Presidente da Assembleia Legislativa garantiu os investimentos, beneficiando diversos setores do município

Nota de Pesar - Câmara de Porto Velho lamenta morte do superintendente do Banco da Amazônia em Rondônia

O presidente da Casa de Leis municipal, Edwilson Negreiros, do PSB, prestou condolências à família de Wilson Evaristo

Envie seu Comentário