Carlos Bolsonaro pede afastamento da Câmara Municipal do Rio Janeiro

Carlos Bolsonaro pede afastamento da Câmara Municipal do Rio Janeiro

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) pediu licença não remunerada da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o parlamentar enviou ofício ao presidente da Casa, Jorge Fellippe, na última sexta-feira (06/09/2019). O documento, contudo, só foi despachado nessa segunda-feira (09/09/2019).

Carlos Bolsonaro se baseou no artigo 11, inciso I do Regimento Interno da Câmara para pedir a licença. O texto determina o afastamento para tratar de assuntos particulares em período que não pode ultrapassar 120 dias por sessão legislativa. O vereador, contudo, não deu detalhes da ausência.

“O vereador poderá licenciar-se por tempo nunca inferior a trinta dias para: tratar de assuntos particulares”, diz o inciso para, em seguida, abrir uma exceção. “No caso do inciso I, a licença será sem remuneração e não poderá ultrapassar cento e vinte dias por sessão legislativa”, complementa.

Dizendo-se desgostoso com a política, este é o quinto mandato seguido de Carlos Bolsonaro na Câmara do Rio. O filho zero dois de Bolsonaro tem uma grande influência no governo do pai. Aliado ideologicamente ao guru da extrema-direita, Olavo de Carvalho, participou ativamente da demissão do ex-ministro da secretaria geral da Presidência, Gustavo Bebianno.

O vereador disse, nessa segunda-feira (09/09/2019), que “por vias democráticas” a transformação do Brasil não acontecerá na “velocidade que almejamos”. Na ocasião, ele foi ao Twitter exaltar o governo federal e atacar o que chamou de “enredo contado por grupelhos”, que ignora os avanços.

Fonte: Metrópoles
Publicada em 10 de setembro de 2019 às 09:52

 

Leia Também

Lula diz estar interessado na sua inocência e não quer discutir 2ª instância

Mas não é a saída que Lula afirma desejar. “Quero que os ministros da suprema corte tenham acesso à verdade do processo e anulem.

Prefeito Hildon Chaves consegue fim de obras embargadas em todo Brasil

Mudanças representam conquistas da Frente Nacional dos Prefeitos, na qual Hildon é o vice-presidente

Técnico do IPEM entrega maracutaia da Energisa e confessa que medidores é que simulam roubo de energia

O técnico não quantificou o número de relógios que estariam marcando ´a mais´, mas assegurou que junto com os marcadores é enviado um relatório, na qual a cópia do resultado não é apresentada ao consumidor

Hildon Chaves ajusta projetos e busca mais recursos em Brasília para atender Porto Velho

Entre as demandas apresentadas aos membros da Bancada Federal, um projeto de R$ 8 milhões para acolher idosos em vulnerabilidade

Envie seu Comentário