Xi Jinping recebe Putin na China e elogia relação propícia à paz mundial

Xi Jinping recebe Putin na China e elogia relação propícia à paz mundial

O presidente da China, Xi Jinping, afirmou nesta quinta-feira que sua relação com a Rússia é “propícia à paz” mundial e defendeu uma cooperação ainda mais intensa ao receber em Pequim o “velho amigo” Vladimir Putin.

Esta é a primeira viagem ao exterior de Putin desde sua reeleição em março e a segunda em 18 meses à China, um aliado econômico crucial para a Rússia após as sanções impostas pelos países ocidentais por sua ofensiva na Ucrânia.

O presidente chinês, que fez referência ao convidado como um “velho amigo”, declarou que a relação entre Pequim e Moscou “não é apenas de interesse fundamental para os dois países e os dois povos, mas igualmente é propícia à paz”.

“A atual relação entre China e Rússia foi conquistada com esforço. As duas partes devem apreciá-la e cultivá-la”, insistiu, segundo trechos do discurso divulgados pelo Ministério das Relações Exteriores.

O presidente russo destacou que relações entre os dois países “não são oportunistas, nem direcionadas contra ninguém”.

“Nossa cooperação nos temas internacionais é um dos fatores de estabilidade no cenário internacional”, disse Putin, segundo a transmissão nos canais de televisão russos.

“Amizade pessoal”

A viagem pretende reafirmar a amizade “sem limites” que os dois presidentes proclamaram alguns dias antes do início da invasão da Ucrânia, em fevereiro de 2022.

Desde então, a relação diplomática e comercial entre Pequim e Moscou ficou ainda mais intensa.

Xi ignorou as críticas ocidentais sobre a aliança, que permite à China importar energia barata da Rússia e ter acesso aos seus vastos recursos naturais.

“Esta é a primeira viagem de Putin desde a sua posse e pretende demonstrar que as relações China-Rússia entraram em outro nível”, declarou à AFP o analista político russo independente Konstantin Kalachev.

“Sem falar na amizade pessoal, visivelmente sincera entre os dois líderes”, acrescentou o analista. Este é o quarto encontro presencial entre Putin e Xi desde o início da invasão da Ucrânia.

O presidente russo se declarou “agradecido” à China por suas iniciativas de paz no conflito ucraniano, segundo as agências russas.

Em declarações à imprensa ao lado de Xi, Putin considerou “prejudicial” qualquer aliança política e militar “fechada” na região Ásia-Pacífico, onde Pequim trava uma disputa com os Estados Unidos, que cooperam com a Austrália e o Reino Unido para enfrentar a influência da China.

A China pede com frequência respeito à integridade territorial de todos os países (incluindo, implicitamente, a da Ucrânia), mas também defende que as preocupações da Rússia em termos de segurança sejam levadas em consideração.

“As partes concordam que o caminho a seguir é o de uma solução política para a crise na Ucrânia”, declarou Xi à imprensa. Também destacou que “a posição da China nesta questão sempre foi clara”.

A China se apresenta como uma nação neutra na guerra da Ucrânia, mas é criticada pelos países ocidentais por não condenar a invasão e por ampliar a cooperação econômica com a Rússia.

Washington estabeleceu um limite a Pequim: não deve fornecer armas diretamente a Moscou. O governo americano afirma que, até o momento, não teve provas do contrário.

Freio no comércio

Após a invasão da Ucrânia, o comércio entre China e Rússia disparou e atingiu o nível recorde de 240 bilhões de dólares (1,23 trilhão de reais) em 2023, segundo os dados oficiais de Pequim.

As exportações da China para a Rússia, no entanto, registraram queda em março e abril na comparação com o ano passado, depois que o governo dos Estados Unidos ameaçou adotar sanções contra os bancos chineses.

A ameaça, aliada ao desejo de reparar as relações com Washington, deixa Pequim mais relutante em estimular ainda mais a cooperação com a Rússia, apesar da vontade de Moscou, dizem analistas.

China e Rússia, no entanto, assinaram vários acordos comerciais durante a visita de Putin.

Fonte: Carta Capital
Publicada em 16 de May de 2024 às 09:11

 

Leia Também

Estratégias de monitoramento do Governo de RO revelam presença de espécie rara em reserva estadual

As câmeras foram posicionadas por técnicos da Coordenadoria de Unidades de Conservação (CUC)

Justiça confirma a matrícula de lote de 100 hectares em  área objeto de  reintegração de posse  na margem do Rio Madeira, em Porto Velho

Decisão judicial confirma propriedade contestada e encerra décadas de disputas com alegações de fraude documental e erro registral.

Lula lamenta Eletrobras privada e cobra Vale para reparar tragédias

A Eletrobras foi privatizada em 2022 pelo governo de Jair Bolsonaro

Musk defende uso de IA na criatividade e deixa recado para marcas que baniram publicidade no X

Musk enfatizou que as companhias que serão fortes no futuro serão justamente as que melhor se adaptarem a essa nova realidade

Envie seu Comentário