Homem que matou universitária e escondeu corpo em uma fossa é condenado 15 anos de prisão

Homem que matou universitária e escondeu corpo em uma fossa é condenado 15 anos de prisão

Jorge Martins, conhecido por “Ceará”, foi condenado quinta-feira pelo 2º Tribunal do Júri da Comarca de Porto Velho a 15 anos de reclusão em regime inicial fechado, pelos crimes de ocultação de cadáver e homicídio (qualificado pelo emprego de asfixia e feminicídio).

O réu foi condenado pela morte da universitária Sílvia Santos de Souza em 6 de junho de 2018, na chácara de Jorge. Silvia teria ido ao local para se encontrarem como de costume. Ele e a vítima mantinha uma relação extraconjugal há quatro anos. Neste dia, tiveram uma discussão, quando ele tentou agredi-la fisicamente.

Silvia correu até a rua pedindo socorro, porém Jorge conseguiu alcança-la e trazê-la de volta para a residência, momento que a esganou, causando a sua morte. Posteriormente pegou uma faca e passou a golpeá-la.

Logo após a prática do homicídio Jorge amarrou uma corda no corpo da vítima e jogou em uma fossa seca, disfarçando com lona e capim seco. O cadáver da vítima somente foi encontrado quando o filho de Jorge foi até a polícia e informou que seu pai teria confidenciado o crime. O réu não nega que tenha matado a vítima, mas alega legítima defesa

Feminicídio

O magistrado destaca que o simples fato de a vítima manter um relacionamento extraconjugal com o réu, por aproximadamente quatro anos e do crime ter decorrido, em tese, de desentendimento amoroso e ciúmes, basta para que a qualificadora (feminicídio) seja admitida, cabendo aos jurados uma análise detalhada no caso concreto.

A qualificadora do feminicídio, prevista no art. 121, § 2º, inc. VI, § 2º-A, inc. I, do Código Penal, conceitua como uma das razões da condição de sexo feminino quando o crime envolver violência doméstica e familiar, e por isso, deve ser submetida a julgamento pelo Conselho de Sentença.

Fonte: VIA RONDÔNIA
Publicada em 08 de fevereiro de 2019 às 09:12

 

Leia Também

Inconformado com o resultado, MP recorre na própria sessão de julgamento do agente penitenciário que jogou soda cáustica em médico

O Promotor de Justiça Elias Chaquian pediu a condenação em uma tentativa de homicídio triplamente qualificada (motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima

Pastor que decepou mão da esposa vai responder apenas pelo crime de lesão corporal grave

Pastor responderá por crime de lesão corporal grave, cuja pena prevê 2 a 8 anos de prisão

Emoção no encerramento dos cursos de Libras e PM Digital

Policiais estão aptos a atender ocorrências envolvendo pessoas surdas

Delegacia alerta para onda de furtos de carros com dispositivo ‘Chapolin’ em Porto Velho

Cerca de seis veículos, entre caminhonetes e carros comuns, foram furtados em Porto Velho, nos últimos dois meses, através do uso do Chapolin

Envie seu Comentário