Desemprego cresceu no primeiro trimestre; Rondônia atingiu a taxa de 8,9%

Desemprego cresceu no primeiro trimestre; Rondônia atingiu a taxa de 8,9%

O desemprego subiu em 14 das 27 unidades da federação brasileiras no primeiro trimestre sob o governo Jair Bolsonaro, informou nesta quinta (16) o IBGE. De acordo com o IBGE, as maiores taxas de desemprego foram registradas no Amapá (20,2%), Bahia (18,3%) e Acre (18%). As menores, em Santa Catarina (7,2%) e Paraná e Rondônia, ambos com 8,9%.

No primeiro trimestre, a taxa de desemprego foi de 12,7% no primeiro trimestre, 1,1 ponto percentual acima do registrado no trimestre anterior. Nos primeiros três meses de 2019, 13,4 milhões de pessoas procuravam emprego no país.

Em São Paulo, a taxa de desemprego ficou em 13,5%, acima da média nacional e 1,1 ponto percentual acima da registrada no quarto trimestre de 2018.

De acordo com o IBGE, um a cada quatro desempregados brasileiros estavam há mais de dois anos procurando trabalho no primeiro trimestre de 2019. Ao todo, 3,3 milhões de brasileiros se encontravam nessa posição.

Nos primeiros três meses de 2019, a taxa de subutilização da força de trabalho brasileira bateu recorde, chegando a 25%. No total, 28,3 milhões de brasileiros estavam sem trabalho ou trabalhavam menos do que gostariam.

Fonte: Folhapress
Publicada em 16 de maio de 2019 às 09:13

 

Leia Também

Governo autoriza contratação de 5.158 profissionais de saúde para combater o coronavírus

Ministério da Saúde definirá como será distribuição das contratações nas cidades. Contratos terão validade de até seis meses e maior parte é para técnico de enfermagem.

Governo de Rondônia exclui categorias da Saúde de aumentos salariais.

Profissionais de Saúde completaram uma década sem aumentos. O Coren-RO apoia a luta dos profissionais de Enfermagem por melhores salários.

Internacional Avião com mais de 100 pessoas a bordo cai no Sul do Paquistão

Aeronave caiu em um bairro residencial da cidade de Carachi

Atendimento remoto do INSS é prorrogado até o dia 19 de junho

A decisão foi publicada hoje no Diário Oficial da União

Envie seu Comentário