Condenações são confirmadas pelo TJ de Rondônia no caso da Operação Detalhes

Condenações são confirmadas pelo TJ de Rondônia no caso da Operação Detalhes

Os desembargadores do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) mantiveram as sentenças dos acusados no caso da Operação Detalhes, marcado como o principal caso de corrupção de Cacoal.

A operação foi iniciada em 2015, seguindo as investigações conduzidas pelo Ministério Público e Polícia Civil, que revelaram um esquema de corrupção que envolvia agentes públicos e empresários em atividades ilícitas como corrupção ativa e passiva, tráfico de influência e lavagem de dinheiro. A deliberação ocorreu no dia 09 de maio de 2024.

Dentre os condenados, Maria Ivanir, que era chefe de gabinete do ex-prefeito Padre Franco, recebeu a maior pena, sendo sentenciada a 24 anos, 11 meses e 8 dias de prisão em regime fechado.

Paty Paulista, ex-vereador e na época presidente da Câmara Municipal de Cacoal, foi condenado a 23 anos, 10 meses e 15 dias de prisão, também em regime fechado. Marcelo Vagner Penna, procurador efetivo do município, e Valdomiro Corá, atual presidente da Câmara, foram igualmente condenados, com penas de prisão que não tiveram os regimes especificados.

Outros participantes do esquema foram sentenciados a penas que oscilam entre dois e sete anos em regime semiaberto.

Um empresário do setor imobiliário, que colaborou com as investigações, teve sua pena substancialmente reduzida, resultando em oito meses em regime aberto.

As condenações resultaram na perda de cargos dos agentes públicos envolvidos e na inelegibilidade dos mesmos.

Valdomiro Corá, adicionalmente, enfrenta a possibilidade de ser destituído do cargo de presidente da Câmara e ter seu mandato como vereador cassado, o que o tornaria inelegível por oito anos.

Fonte: Rondônia Dinâmica
Publicada em 17 de May de 2024 às 15:47

 

Leia Também

PF deflagra a Operação Hermes para apurar o crime de tráfico interestadual de drogas em RO

Foram cumpridos nove mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão em Porto Velho

Operação “Status praesens” reforça segurança em unidade prisional de Ariquemes

A operação iniciou às 6h da manhã, com revistas em todos os pavilhões da unidade

Policial do PR é acusada de alugar informações sigilosas por R$ 20 mil

O MP-PR (Ministério Público do Paraná) informou nesta quarta-feira (19) que a 1ª Vara Criminal de Curitiba aceitou a denúncia, tornando a policial ré

Vítima de violência doméstica finge pedir pizza para denunciar agressor

Ela já possuía uma medida protetiva contra o agressor, que foi preso em flagrante por violência doméstica e descumprimento da medida

Envie seu Comentário