Policiais militares da administração reforçam policiamento nos presídios de RO para garantir visitas

Policiais militares da administração reforçam policiamento nos presídios de RO para garantir visitas

Os presídios de Porto Velho e do interior de Rondônia terão segurança reforçada com o planejamento montado pela Polícia Militar, acionando todos os militares que atuam em setores da administração da corporação. A PM mantém as atenções voltadas para a intervenção nos presídios decretada no dia 24 de janeiro deste ano, devido à greve deflagrada pelos agentes penitenciários em todo o Estado. Na manhã de quinta-feira, 14, todos os militares que atuam no Comando Geral e em outras Unidades da PM foram acionados para atuarem nos presídios durante todo o final de semana, para garantir a visita dos familiares aos apenados. As ações também foram confirmadas no interior do Estado.

Durante o chamado briefing à tropa – ato de dar informações e instruções concisas e objetivas sobre missão ou tarefa a ser executada – o subcomandante geral Rildo José Flores, o Chefe do Estado Maior, coronel PM Alexandre Almeida e o comandante do Comando Regional de Policiamento – CRP-I, coronel PM Drayton Florêncio, destacaram o comprometimento de cada militar e mencionaram a necessidade de se reforçar o esquema de segurança nos presídios, inclusive após o anuncio de paralisação geral dos agentes penitenciários.

“A Polícia Militar tem mantido todo o trabalho e, inclusive, recebendo elogios de vários segmentos da sociedade no que se refere à segurança nos presídios”, disse o subcomandante.

“Todo o trabalho programado para as unidades prisionais em nenhum momento irá interferir nas ações desempenhadas pelo policiamento ostensivo. Medidas semelhantes foram realizadas durante a operação carnaval, quando policiais que participam de Curso de Formação de Sargentos foram designados para o policiamento nos blocos carnavalescos sem que, para isso, houvesse prejuízo para o policiamento ostensivo nos bairros de Porto Velho“, informou  o coronel PM Alexandre Almeida.

A intervenção foi decretada no prazo de 60 dias em resposta ao movimento paredista iniciado pelos agentes penitenciários no dia 15 de janeiro. Segundo informou o porta-voz da intervenção geral, capitão Alex Miranda, a greve dos servidores não influencia no policiamento da Polícia Militar dentro dos presídios. “Com o início da greve, o efetivo de policiais dentro das unidades aumentou, mas por questão de segurança a gente não pode informar o quantitativo”, disse.

O comando da Polícia Militar deixa claro que mesmo ocupando todo o sistema prisional do Estado estão sendo respeitados os direitos dos internos, sendo este um dos objetivos da intervenção.

Sobre o policiamento nas ruas na Capital e interior, o Capitão Alex Miranda enfatizou que o serviço operacional da Polícia Militar não está afetado em decorrência da utilização de mais policiais no sistema carcerário, uma vez que o efetivo que está nos presídios, também é oriundo do curso de formação de sargento e soldado da PM e somam com o efetivo que já está interligado dentro das unidades.

As ações estão sendo desencadeadas em todas as unidades. Por sua vez, a Polícia Militar de Rondônia, nesta situação de crise, tem se empenhado em garantir a ordem pública e a segurança da comunidade rondoniense.

Fonte: Secom
Publicada em 14 de março de 2019 às 15:27

 

Leia Também

Rolim de Moura - Vândalos invadem e unidade de saúde do Cidade Alta não terá atendimento hoje

Em decorrência, os atendimentos serão realizados normalmente somente a partir de terça-feira.

Garota de programa aciona a PM após ter sido estuprada e agredida por portador de HIV

A situação ocorreu na noite de domingo (23). O suspeito do crime ainda não foi preso.

Suspeito de estuprar netas é internado ao ter o pênis decepado

Ele era procurado pela polícia por, supostamente, ter estuprado as netas de 5 e 6 anos de idade.

Homem é brutalmente assassinado com nove tiros na frente da mãe e esposa

quando um homem passou em uma motocicleta e o reconheceu.

Envie seu Comentário