Justiça do Distrito Federal mantém prisão de hackers de Bolsonaro e Moro

Justiça do Distrito Federal mantém prisão de hackers de Bolsonaro e Moro

A Justiça do Distrito Federal decidiu manter preso todos os suspeitos de invasão aos celulares de autoridades, descobertos em julho deste ano. A deliberação vai contra a opinião da Polícia Federal. A corporação acredita que somente Walter Delgatti Neto, conhecido como Vermelho, e Gustavo Elias Santos têm elementos necessários para a carceragem.

Além deles, Danilo Cristiano Marques e Suelen de Oliveira são investigados na Operação Spoofing. Eles são suspeitos de hackear o celular do ministro da Justiça, Sergio Moro, do coordenador da força-tarefa da Lava-Jato, Deltan Dellagnol, e outras autoridades do Executivo, Legislativo e Judiciário.

A decisão do juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal do DF, segue entendimento do Ministério Público Federal (MPF), que pediu a manutenção da prisão de todos os suspeitos. De acordo com a Defensoria Pública, que defende Danilo, pelo fato das investigações ainda estarem em andamento, a palavra final deveria ser da PF, responsável pela apuração do caso.

“Os argumentos usados para manter a prisão estão baseados em suposições e ilações indevidas e inapropriadas para o momento processual, tendo em vista que sequer há provas concretas da participação de Danilo em qualquer conduta criminosa. Só nos resta concluir que se trata de medida para agradar alguns atores políticos. Iremos agora recorrer aos Tribunais Superiores para que o constrangimento ilegal a que está sendo submetido seja cessado”, informou a nota.

Segundo o (MPF), os suspeitos teriam se aproveitado da “vulnerabilidade da rede” para ter acesso ao aparelho telefônico e clonarem os números das vítimas. Conhecendo a falha, os criminosos utilizaram um programa que permite a edição do número que efetua a ligação, burlando o sistema de identificação de chamadas.

Os investigados dispararam 5.616 ligações para os telefones das vítimas por meio de robôs. Dessa forma, as linhas ficaram congestionadas e foi possível acessar o aplicativo Telegram.

Eles estão detidos desde o dia 23 de Julho, em Brasília. O Vermelho segue encarcerado na Superintendência da PF e os demais foram para a Papuda e para a Colmeia.

Fonte: Metrópoles
Publicada em 11 de setembro de 2019 às 15:20

 

Leia Também

Mulher é agredida pelo companheiro por causa de ´compras desnecessárias´

O suspeito de 21 anos atacou a vítima depois de considerar que ela fez ´compras desnecessárias´ para casa.

Mulher grávida pula do 2º andar para fugir de cárcere e agressão

O suspeito, na sequência, ainda pulou atrás dela e continuou a espancá-la. Ele só parou quando policiais que tentavam negociar a liberdade da mulher chegaram.

Caminhões que transportavam madeira ilegal são apreendidos pela PRF em Rondônia

Cada veículo transportava 20 metros cúbicos de madeira. Segundo PRF, madeira foi retirada do assentamento agrícola Joana D´Arc.

Jovem de 21 anos é esfaqueado em Porto Velho; ele diz que foi atacado por ser gay

O suspeito, que foi identificado pela vítima apenas como Afonso, ainda não foi encontrado pela polícia

Envie seu Comentário