Mauro Nazif cobra reabertura do restaurante popular estadual depois de fechar o restaurante popular municipal

Mauro Nazif cobra reabertura do restaurante popular estadual depois de fechar o restaurante popular municipal

O deputado federal Mauro Nazif, criticou esta semana, durante seu pronunciamento na Câmara Federal, o fechamento do restaurante popular estadual, na zona Leste de Porto Velho, que até hoje continua em obras e sem data precisa de retorno. 

Segundo o deputado ele já oficiou ao Governo do Estado e das secretarias pedindo o retorno do restaurante, que atendia a aproximadamente 1.500 pessoas diariamente, através de um preço acessível o valor das refeições, e ressaltou que “a situação é preocupante´. 

Nazif utilizou, claro de seu oportunismo político e parece ter esquecido que ele mesmo fechou, no início da sua gestão como prefeito de Porto Velho, em 2013, o restaurante popular do Município, na região do Cai Nágua, sob a desculpa de irregularidades no pagamento de refeições. 

Naquela mesma época, Nazif disse que iria fazer uma nova licitação, enquanto mandava apurar as supostas irregularidades, para reativar o restaurante. Nazif saiu do cargo, perdeu a reeleição e hoje o restaurante popular do Cai Nágua virou anexo de uma cracolândia do Terminal da Euclides da Cunha.

Fonte: VIA RONDÔNIA
Publicada em 07 de novembro de 2019 às 17:23

 

Leia Também

 Evo Morales diz que não se culpa pela atual crise na Bolívia

Na avaliação dele, seu principal erro "foi derrotar os adversários". Ele está exilado no México

Caso Marielle: Bolsonaro é denunciado pela ABI ao STF por obstruir Justiça

Ação foi movida após o presidente ter afirmado que pegou gravações da portaria onde tem casa, no Rio, para evitar que fossem "adulteradas"

Prefeito de Rolim de Moura entrega escritura pública do terreno doado para ONG Mulheres de Lenço

A solicitação da doação do terreno com 1.560 m2 para a construção da sede da ONG partiu do vereador Uender Nogueira

Justiça determina: Chapa 2 está fora das eleições do Conselho Regional de Contabilidade

Segundo a ação impetrada na Justiça Federal pelo representante da Chapa 1, Victor Morelly Dantas Moreira, a Chapa 2 apresentou candidatos inelegíveis.

Envie seu Comentário