Polícia Federal deflagra operação de combate a fraudes a Sistema Oficial de controle de produto florestais

Polícia Federal deflagra operação de combate a fraudes a Sistema Oficial de controle de produto florestais

PORTO VELHO/RO – A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (28/06/2022), a OPERAÇÃO PAPER WOOD que visa desarticular organização criminosa dedicada a fraudar o Sistema Oficial de Controle de Produtos Florestais (SISDOF) com o propósito de permitir a comercialização de madeira ilegal com aparência de lícita.

Durante a operação foram cumpridos mandados de busca e apreensão em madeireira situada em Porto Velho/RO e também em desfavor de pessoas físicas responsáveis por operacionalizar esquema de geração fictícia de créditos de produto florestal no SISDOF.

A operação contou com 20 Policiais Federais e também com agentes do IBAMA, que realizaram fiscalizações administrativas no pátio da empresa alvo para verificar a compatibilidade do saldo de madeira constante do pátio com o respectivo registro no SISDOF. Ao todo foram cumpridos 5 mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal de Porto Velho/RO.

A investigação se iniciou a partir de Informação Técnica do Ibama dando conta de que empresas madeireiras de “fachadas” estavam operacionalizando o SISDOF e gerando créditos de produto florestal para “calçar” madeira ilegal.

As diligências investigativas levaram à conclusão de que as diversas madeireiras que transacionavam no SISDOF não existiam fisicamente. Além disso, descobriu-se que essas empresas eram constituídas em nome de “laranjas” para evitar a identificação dos criminosos.

Com métodos especiais de investigação, a Polícia Federal conseguiu identificar o líder da organização criminosa e principal idealizador do audacioso esquema de fraude ao SISDOF. Esse esquema criminoso permitiu a comercialização no mercado nacional e internacional de diversas essências de madeiras extraídas ilegalmente de áreas protegidas.

 Foi determinado também o sequestro e bloqueio de bens dos investigados até o montante de R$ R$ 2.586.748,56, (dois milhões, quinhentos e oitenta e seis mil, setecentos e quarenta e oito reais e cinquenta e seis centavos), valor estimado por Peritos Federais como representativo do dano causado.

Os investigados poderão responder pelos crimes de organização criminosa, lavagem de capitais, falsidade ideológica, receptação e transporte ilegal de produto florestal, cujas penas máximas somadas chegam a 28 anos.

 

Fonte: PF
Publicada em 28 de junho de 2022 às 09:05

 

Leia Também

PF tira de circulação grupo criminoso voltado ao comércio ilegal de ouro

A Justiça Federal determinou, também, o sequestro de R$ 907.897,54 (novecentos e sete mil, oitocentos e noventa e sete reais e cinquenta e quatro centavos) em contas bancárias, aplicações financeiras e investimentos em ações. Além disso, durante a deflagração da operação policial, foram apreendidos 19 (dezenove) veículos, joias e 4 (quatro) armas de fogo, tendo, inclusive, a participação do GPI (Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal) em razão da sensibilidade de um dos alvos.

Polícia Federal deflagra operação contra exploração ilegal de diamante em Terra Indígena

Operação “Conexão Internacional” cumpre 06 Mandados de Busca e Apreensão e promove o sequestro e bloqueio de milhares de reais

PF deflagra Operação Duble Tap contra a pornografia infantil em Rondônia

As investigações foram iniciadas em junho deste ano e a partir de técnicas especiais de investigação foi possível identificar o suspeito de adquirir fotos e vídeos com conteúdo relacionado ao abuso sexual infantojuvenil, principalmente através de grupos de aplicativos de troca de mensagens, utilizando a rede mundial de computadores.

PF desarticula organizações criminosas voltadas à extração e comércio ilegal de ouro

Três operações estão sendo deflagradas simultaneamente para combater os crimes de lavagem de dinheiro, extração e comércio ilegal de ouro, dentre outros

Envie seu Comentário