Técnico do IPEM entrega maracutaia da Energisa e confessa que medidores é que simulam roubo de energia

Técnico do IPEM entrega maracutaia da Energisa e confessa que medidores é que simulam roubo de energia

Uma declaração bombástica dada por um técnico do IPEM expos uma situação incomum e que pode até culminar com a rescisão do contrato da empresa responsável pela distribuição de energia elétrica no Estado: Vários relógios que foram periciados no laboratório do Instituto e devolvidos à concessionária marcam 40% a mais do que o consumo real. 

O técnico não quantificou o número de relógios que estariam marcando ´a mais´, mas assegurou que junto com os marcadores é enviado um relatório, na qual a cópia do resultado não é apresentada ao consumidor. O laboratório onde é aferido os medidores foi doado pela própria Energisa. Ou seja, o IPEM não faz perícias, nem emite laudos e sim, apenas relatórios. 

Os deputados da CPI da Energisa classificaram como estarrecedor o depoimento do presidente do IPEM à comissão que apura justamente os desmandos da empresa na cobrança absurda de energia elétrica aos mais de 600 mil consumidores cadastrados. A confissão reforçou ainda mais aos membros da comissão que a cobrança das faturas de energia é absurda. 

O deputado Ismael Crispim (PSB), vice-presidente da CPI chamou a fraude de ´gatos ao contrário´, ou seja, é a companhia que está roubando energia dos consumidores, no momento em que cobra a mais por um serviço não executado em sua integralidade. Ele lembrou ainda que a Lei que criou o  IPEM impede o instituto de prestar serviços à empresas, inclusive concessionárias de energia elétrica. 

O relator da CPI, Jair Montes (PTC), afirmou que todo consumidor que se sentir prejudicado pode recorrer à Justiça, porque já está comprovado que um simples relatório emitido pelo Ipem não é documento aceitável para a empresa alegar que houve fraude e aplicar multas ou cobrar valores retroativos. 

O deputado Edson Martins (MDB) lembrou que é admitida uma margem de erro de 1,3% nos relógios medidores de consumo, mas questionou a devolução para a Energisa dos aparelhos que medem 40% a mais. “Nesse caso o consumidor fica dependendo da boa-fé da empresa, a partir do momento que é constatado o gato”, acrescentou. 

O deputado Cirone Deiró (Podemos) afirmou que o Ipem deveria avisar o consumidor quando verificar que o medidor está avariado, beneficiando a Energisa. “É preciso enviar uma cópia do relatório para ele, dizendo que ele foi prejudicado”, acrescentou o parlamentar, diante da informação de que o relatório é encaminhado somente para a concessionária de energia elétrica, com a qual o instituto tem um contrato de prestador de serviços.

Fonte: VIA RONDÔNIA
Publicada em 17 de outubro de 2019 às 17:34

 

Leia Também

Combate a desigualdade e resgate do orgulho de Porto Velho são pautas do pré-candidato à prefeito Samuel Costa

Uma das mais ressoantes vozes da esquerda rondoniense na atualidade, o professor Samuel Costa, é pré-candidato a prefeito de Porto Velho (RO) pelo Partido Comunista do Brasil – PC do B.

Vítima de ataques políticos, prefeito de Machadinho explica projeto de alteração do Imprev

Se o município não se adequar a prefeitura ficará sem certidão e não receberá recursos

Presidente Laerte Gomes recebe representantes da Polícia Civil de Rondônia

Categoria solicitou que, na Reforma Administrativa, polícias de Rondônia tenham mesmos direitos que polícias federais

Secretário da Seduc presta esclarecimentos de ações na Comissão de Educação

Suamy Vivecananda foi ouvido e disse que não há previsão para retorno às aulas presenciais

Envie seu Comentário