Em cinco meses, RO registra 184 mortes violentas; queda é de 8,4% em relação ao ano passado

Em cinco meses, RO registra 184 mortes violentas; queda é de 8,4% em relação ao ano passado

Rondônia registrou uma queda de 8,4% nas mortes violentas durante os cinco primeiros meses de 2019 em comparação com o mesmo período de 2018. A queda dos assassinatos foi divulgada sábado (13) e faz parte do índice nacional de homicídios criado pelo G1, o Monitor da Violência.

Entre janeiro e maio deste ano foram 184 homicídios em 150 dias. No mesmo período do ano passado ocorreram 201 mortes.

O Monitor da Violência aponta que janeiro continua sendo o mês mais violento de 2019, com 44 assassinatos em 31 dias. Março vem logo na sequência, com 38 assassinatos.

Em todo o Brasil também há uma tendência de queda nos homicídios. De acordo com o Monitor, houve uma queda de 22% nos primeiros cinco meses deste ano em comparação com o mesmo período de 2018.

Em maio, houve 3.521 assassinatos, contra 4.327 no mesmo mês do ano passado. Já no período de cinco meses, foram 17.907 mortes violentas — 5,1 mil a menos que o registrado no mesmo período de 2018.

O levantamento faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV/USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Fonte: G1

Fonte: VIA RONDÔNIA com informações do G1
Publicada em 15 de julho de 2019 às 12:01

 

Leia Também

Através do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública projeto visa combater crimes organizados na região Norte

Governador Marcos Rocha destacou a importância do Centro Norte para a segurança Pública

Pagamento dos servidores públicos do estado de Rondônia será no dia 20

O aquecimento com o pagamento da folha é de aproximadamente R$ 277 milhões

Sepog divulga PIB dos municípios rondoniense em 2017

Porto Velho, Ji-Paraná, Vilhena, Ariquemes, Cacoal, Jaru, Rolim de Moura, Pimenta Bueno, Guajará-Mirim e Ouro Preto do Oeste aparecem como as principais economias dentre os municípios

´´Brasil está no caminho de um futuro tóxico´´diz relator da ONU

Depois de tentar por cinco anos visitar o Brasil, enviado apontou problemas de transparência, legislação e punição para crimes ambientais

Envie seu Comentário