Autoridades retiram 4º corpo de escombros em Marselha

Autoridades retiram 4º corpo de escombros em Marselha

 O corpo de bombeiros de Marseille retirou nesta terça-feira (6) o corpo da terceira vítima fatal dos desabamentos ocorridos nessa segunda-feira (5) em Marselha, no sul da França. A vítima é uma mulher, mas ainda não teve sua identidade revelada, informou o procurador, Xavier Tarabeux.

A vítima é um homem que ainda não foi identificado. Os restos mortais de outro homem e de uma mulher, a italiana Simona Carpignano, originária de Taranto, já haviam sido removidos dos escombros. Ela vivia em Marselha havia seis meses e morava em um dos prédios que desabaram.

O consulado italiano na França emitiu nota em que afirma estar "monitorando desde as primeiras horas a busca por desaparecidos, entre os quais está uma italiana". A representação diz estar "providenciando toda a assistência possível aos parentes" e que está em "contato permanente" com as autoridades locais.

Segundo o ministro do interior francês, Christophe Castaner, 120 policiais e 80 bombeiros estão trabalhando nos resgates, com esperança de encontrar sobreviventes em bolsões de ar que podem ter sido formados nos escombros. Um dos prédios que desabou estava vazio e os outros dois tinham moradores. (ANSA)

Fonte: Noticia ao Minuto
Publicada em 06 de novembro de 2018 às 16:52

 

Leia Também

Unesc forma 30 novos Engenheiros Civis em Porto Velho

Antecedendo à cerimônia de Colação de Grau, no dia 23 aconteceu o Culto Ecumênico para celebrar e agradecer a conquista

Meio ambiente é um dos focos do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unesc

A maioria das carreiras é relacionada aos avanços tecnológicos, mas entre as 21 carreiras mais promissoras o Tidewater Architect, ou Arquiteto de Águas

Fila de espera por cirurgias eletivas é meta estratégica da Secretaria de Saúde

REALIDADE – Atualmente, apenas quatro salas cirúrgicas funcionam no João Paulo II. Seriam necessárias de oito a 10

Diagnóstico e tratamento precoce da Hanseníase dificulta proliferação de doença infectocontagiosa em Rondônia

O tratamento clínico é distribuído gratuitamente pelo Sus, e tem duração de seis meses ou um ano.

Envie seu Comentário