Expedito apoiará Bolsonaro e não fará alianças com ex-candidatos

Expedito apoiará Bolsonaro e não  fará alianças com ex-candidatos

A decisão do candidato a governador, Expedito Junior, desde o primeiro turno, de não fazer alianças políticas, será mantida neste segundo turno. No entanto, a partir de agora ele vai engrossar a torcida pela eleição de Jair Bolsonaro, a quem começou a pedir voto nesta segunda-feira (8). A decisão foi anunciada no início da tarde desta segunda-feira, durante coletiva de imprensa que reuniu, além de Expedito o senador eleito, Marcos Rogério, o deputado federal reeleito, Expedito Junior e o candidato a vice-governador, Maurício Carvalho.

Expedito explicou que no primeiro turno, apoiou para presidente da República, o candidato de seu partido, Geraldo Alkmin, embora Marcos Rogério, membro da chapa majoritária desde o início do processo eleitoral vem apoiando Bolsonaro, motivo pelo qual chegou a ser alvo de representação junto à justiça eleitoral pela chapa do PSL.

O apoio de Expedito ao candidato Bolsonaro segue uma linha de coerência, já que o adversário do candidato do PSL, é também o mais tradicional adversário do PSDB. Se fizesse uma opção diferente incorreria numa contradição atroz, que dificilmente seria absorvida pelo eleitorado.

Durante a coletiva, Expedito Junior disse que neste segundo turno vai manter a decisão de não fazer alianças políticas com os ex-candidatos que concorreram com ele. “Vamos propor alianças sim, mas com os eleitores. Vamos em busca dos eleitores do Maurão, do Vinicius Miguel, do Pimenta de Rondônia, do coronel Charlon, enfim, nossa aliança será com o povo, não com políticos”, afirmou.

Marcos Rogério, eleito senador com a maior votação já dada a um candidato em Rondônia, com mais de 320 mil votos, foi convidado nesta segunda-feira pela equipe de Bolsonaro para ir à Brasília para discutir o apoio ao candidato a presidente. O novo senador por Rondônia será um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro no estado. O próprio Bolsonaro enviou mensagem de áudio a Marcos Rogério, reconhecendo o erro de estratégia que foi a representação ao TRE movida por seus correligionários de Rondônia. 

Fonte: Via Rondônia
Publicada em 08 de outubro de 2018 às 16:52

 

Leia Também

Em Brasília, Edwilson Negreiros luta por recursos para Porto Velho

Na tarde de quarta-feira, 13, Edwilson foi recebido em audiência pelo senador Marcos Rogério

Pressionado no Congresso, governo avalia lotear cargos no 2º escalão

Governistas vão tentar evitar que distribuição soe como fisiológica

Pela segunda vez, Gilmar Mendes manda soltar prefeito de Mauá (SP)

Alvo da Operação Trato Feito, deflagrada em maio, o político é acusado de ser beneficiário de um mensalão de R$ 500 mil, supostamente pago por um grupo de nove empresas fornecedoras da administração municipal

Bolsonaro define idades mínimas de 62 e 65 anos na Previdência

Decisão foi tomada após reunião com a equipe econômica, na tarde desta quinta-feira (14)

Envie seu Comentário