Cidades do Centro-Oeste promovem ações contra abuso e exploração sexual infantojuvenil | MG / Centro-Oeste

7

[ad_1]

Itaúna, Pompéu e Nova Serrana têm programações.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantojuvenil é celebrado nesta quinta-feira (18). A data foi instituída por lei federal em 1998 e marca a necessidade de promover atividades de conscientização social sobre o assunto. No Centro-Oeste de Minas, Itaúna, Pompéu e Nova Serrana têm programação.

Em Itaúna, profissionais que atuam na rede municipal de assistência social e nos sistemas de ensino público e privado receberão um curso de capacitação oferecido pela Prefeitura. O objetivo é promover a formação cidadã com foco na abordagem psicossocial, pedagógica e jurídica de vulneráveis.

Representantes do Judiciário, psicólogos, professores e coordenadores de órgãos como o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) e o Centro Especializado de Assistência Social (Creas) foram convidados. O evento, gratuito, está previsto para quinta-feira, às 19h30, no Teatro Sílvio de Mattos.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Pompéu promoverão uma passeata na quinta-feira, com saída da Praça Ciro de Campos Cordeiro, às 8h30.

A iniciativa faz parte da campanha “Proteja”, realizada anualmente pela Prefeitura. O objetivo é mobilizar a sociedade para a discussão sobre o abuso e a exploração sexual contra pessoas menores de idade.

Crime que, segundo a presidente do conselho, Germana Peres Lobato, é difícil de ser descoberto. “Na maioria das vezes acontece dentro da própria família ou com pessoas muito próximas. Segundo estatísticas, a cada ano acontecem aproximadamente 100 mil casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil, mas menos de 20% destes casos chegam ao conhecimento das pessoas encarregadas de tomar providências”, afirmou.

Em Nova Serrana, o destaque é a campanha “Faça Bonito”, que acontece até sexta-feira (19) com visitas e orientações em escolas. Nesta quinta, haverá visita a escolas do Centro pela manhã e, na sexta, às instituições do Cidade Nova pela manhã.

O dia 18 de maio foi escolhido para marcar a mobilização contra a violência sexual a crianças e adolescentes porque em 18 de maio de 1973 um crime ocorrido em Vitória, no Espírito Santo, chocou todo o Brasil e ficou conhecido como “Caso Araceli”.

A menina de oito anos foi raptada, estuprada e morta carbonizada por jovens de classe média alta. Passados 44 anos, ninguém foi punido pelo crime. Após a prisão, julgamento e absolvição dos acusados, o processo foi arquivado pela Justiça.

Créditos G1

Deixe seu Comentário