O empresário de mineração, advogado Marcos Pereira, afirma que até o final de 2020 Rondônia terá a primeira indústria de grafeno do Brasil, trazendo divisas bilionárias em dólares para o Estado. Doutor Marcos Pereira, como é conhecido, explicou que isso representa a independência dos repasses financeiros de Brasília, além da elevação da renda per capta da população.

Como se sabe, o grafeno é uma liga metálica de altíssimo valor no mercado internacional. De acordo com estudos, testes e pesquisas realizados em todo o mundo, as propriedades do material são únicas e, ao que tudo indica, tem diversas aplicações.

O grafeno é ultraleve, é um condutor elétrico 100 vezes mais rápido que o silício e que o cobre, cerca 200 vezes mais forte do que o aço, mais resistente que o diamante, com excelentes propriedades térmicas, além de transparente e impermeável.

Na cadeia minero-metalúrgica, o grafeno pode ser usado como um composto para aumentar a resistência do aço. Na área de telecomunicações, o material pode ser usado na fabricação de telas flexíveis e baterias. E, no contexto da computação, o produto pode atuar, por exemplo, aumentando o poder de processamento, já que é um melhor condutor de eletricidade e esquenta menos.

Dessa forma, a empresa de mineração do Doutor Marcos Pereira fará um investimento de R$ 132 milhões para a implantação da fábrica de grafeno no Município de Ariquemes, e tem como previsão de funcionamento até o final do ano de 2020, por se tratar de uma tecnologia complexa e ainda em fase de estudos para o seu desenvolvimento.

Como há no Brasil pesquisas bem avançadas nessa área, já existindo países em franca produção desta liga metálica, Doutor Marcos Pereira diz que comprará o know-how de quem já o fabrica para implantar na sua empresa de Ariquemes, a Grafite Maine – Pedras e Metais Preciosos, Industria, Comércio, Exportação e Importação Ltda., já regular e devidamente constituída para esse fim.

“Portanto, em breve, Rondônia será, efetiva e verdadeiramente, uma terra de gente rica e feliz”, finaliza Doutor Marcos Pereira.

Fonte: Via Rondônia

Deixe seu Comentário