STF declara inconstitucionalidade de Lei rondoniense sobre perda de mandato de políticos

STF declara inconstitucionalidade de Lei rondoniense sobre perda de mandato de políticos

O Diário Oficial da União publicou hoje o extrato da decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a ADIn 5007, que questionava a Emenda Constitucional (EC) 64/2008, que inseriu no texto da Constituição de Rondônia a exigência de decisão judicial transitada em julgado (quando não há mais possibilidade de recurso) para hipóteses de perda de mandato deputados estaduais e governadores. 

A denúncia foi impetrada pela Procuradoria Geral da República em 2013 e teve como relatora a ministra Carmen Lúcia e ressaltou que os procedimentos estabelecidos pela Constituição Federal sobre perda de mandato foram burlados pela lei rondoniense e deveriam ser de ´observância obrigatória´. 

A Emenda julgada inconstitucional substituiu o artigo 34 da Constituição Estadual e deu nova redação ao parágrafo 3º daquele artigo, instituindo nova sistemática para a extinção de mandado parlamentar. A lei foi aprovada em 2008, justamente na época em que o Legislativo estadual teve as legislações mais envolvidas em ilícitos. 

A EC 64/2008 se contrapôs aos preceitos estabelecidos pela Carta Magna que não prevê a necessidade de sentença judicial transitada em julgado para as hipóteses de declaração de perda de mandato pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Rondônia. 

Ao aceitar os argumentos da PGR, a ministra-relatora diz que a Constituição rondoniense “inovou também ao acrescentar o parágrafo único ao artigo, estabelecendo que o governador não perderá o mandato quando assim decretar a Justiça Eleitoral ou quando sofrer condenação criminal, enquanto o respectivo processo não houver transitado em julgado”. 

A ministra também citou  a Lei das Inelegibilidades (LC 64/1990), com a redação dada pela Lei da Ficha Limpa (LC 135/2010), que assegura eficácia imediata à decisão que declara a inelegibilidade, ainda que pendente de recurso, quando proferida por órgão colegiado. Falou também da jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o efeito imediato da execução de decisão relativa à cassação de diploma pela prática de infrações eleitorais; e do STF no julgamento do MS 25458, no qual se decidiu que “independe do trânsito em julgado da decretação, pela Justiça Eleitoral, da perda de mandato parlamentar”.

Fonte: VIA RONDÔNIA
Publicada em 13 de agosto de 2019 às 08:53

 

Leia Também

Deputado Jair Montes foi o principal mediador para a implementação da Lei Estadual que protege os consumidores

O Projeto de Lei N° 4.659, encaminhado pela Assembleia Legislativa do Estado e promulgado pelo governo de Rondônia, assegura uma série de direitos ao cidadão rondoniense em relação ao serviço de distribuição de energia elétrica.

Prefeitura de Rolim de Moura inaugura quadra poliesportiva na Escola polo José Veríssimo

De acordo com o prefeito Luizão do Trento a Secretaria de Educação busca ao longo de sua história promover uma educação de qualidade, sempre preocupada em manter-se alinhada aos parâmetros educacionais brasileiros

Prefeito Hildon Chaves anuncia recapeamento de 64 quilômetros de ruas

Ele também anunciou asfaltamento de um trecho da Estrada de Santo Antônio, o reveillon 2019 e recebeu um caminhão bitrem

Câmara Municipal aprova a reestruturação do Conselho de Promoção da Igualdade Racial de Porto Velho (COMPIR)

O projeto retorna ao prefeito Hildon Chaves, para sancioná-lo e com este ato o COMPIR terá a missão de promover e fomentar políticas de igualdade racial no município de Porto Velho.

Envie seu Comentário