Prefeitura inicia discussões para implantação do Plano Municipal pela Primeira Infância

Prefeitura inicia discussões para implantação do Plano Municipal pela Primeira Infância

O município de Ji-Paraná será o primeiro em Rondônia a ter implantado o Plano Municipal pela Primeira Infância (PMPI). O plano irá unir atuações de órgãos do judiciário, Ministério Público, OAB, entidades da sociedade civil, e as secretarias municipais de Assistência Social, Educação, Cultura e Esporte, com o objetivo de respeitar, proteger e garantir todo o conjunto de direitos da criança em sua fase inicial, que corresponde até os seis anos de idade, além de estabelecer metas e complementar as ações que visam melhorar e ampliar a atuação pública para as crianças nesta fase da vida.

É na primeira infância, ou seja, até os seis primeiros anos, que a criança mais se desenvolve como indivíduo. Nesta fase elas adquirem as competências linguísticas, físicas, emocionais, propiciando todo o desenvolvimento cognitivo que será levado para toda a vida.

Neste contexto, uma reunião realizada na tarde de ontem (11) entre o prefeito municipal Marcito Pinto (PDT), a Juíza da Vara da infância e Juventude, Ana Valeria de Queiroz Ziparro, a Secretária de Assistência Social, Sônia Reigota, e a Coordenadora dos Serviços Socioassistenciais, Inaiah Cristina Cremonese, definiu as estratégias para o envolvimento da sociedade e a implantação do plano no âmbito municipal.

A ideia, segundo a Juíza Ana Valéria Ziparro, é criar um comitê que envolva várias instituições e setores da prefeitura, o Judiciário, Ministério Público, OAB e pessoas que tenham representatividade na sociedade. O objetivo é cuidar da criança de zero a seis anos, especialmente as que vivam em uma situação de vulnerabilidade.

“A grande vantagem aqui em Ji-Paraná é que muitas das ações já são voltadas a primeira infância, essa preocupação com a cultura e o atendimento na saúde já estão acontecendo. O que precisamos é organizar tudo isso em um plano de ação para avançarmos. Além do plano de ação, teremos que ter recursos que vem dos Fundos como o dos Direitos da Criança e dos Adolescentes, a campanha Declare seu amor, as doações e prestadores de serviços. Tudo funciona melhor quando envolve a sociedade como um todo”, exemplificou.

A secretária Sônia Reigota ressaltou que a Semas fará o levantamento de todo os serviços que são ofertados pela Prefeitura para a primeira infância. A intenção é montar um plano de ação. “Muitas atividades voltadas a essa faixa etária nós já executamos. As secretarias de educação, saúde, assistência Social e cultura já atendem esse público. O que agora nós vamos fazer é fortalecer esse trabalho para que tenhamos crianças com melhor qualidade de vida, e que no futuro não venham ser adolescentes e adultos em conflito com a lei”, constatou Sônia.

Já o prefeito Marcito Pinto ao determinar a implantação do Plano Municipal, disse que este olhar para a primeira infância irá gerar uma mudança na sociedade. “No final, estaremos melhorando pessoas para que tenham decisões sábias, melhor fiscalização e participação política e social, porém, para que isso ocorra é necessário termos políticas públicas direcionadas na educação, saúde, cultura e assistência social e também o envolvimento da sociedade. Precisamos trabalhar juntos. É uma missão grande e precisa de ações constantes e que a prefeitura de Ji-Paraná fará sua parte”, reforçou Marcito.

Fonte: Assessoria
Publicada em 12 de março de 2019 às 14:48

 

Leia Também

Presidente da ALE recebe nova cúpula do Ministério Público de Rondônia

Laerte Gomes foi convidado para participar da solenidade de posse dos dois novos integrantes da cúpula do MP

Confúcio Moura critica preços das passagens aéreas para a região Norte

O parlamentar classificou o potencial turístico da região Norte como farto e rico em todos os sentidos.

Justiça manda soltar Michel Temer, Moreira Franco, Coronel Lima e mais cinco

Decisão vai soltar oito presos na Operação Descontaminação, da Força-Tarefa da Lava Jato, realizada na quinta-feira.

Senador Marcos Rogério diz que CPI da Lava Toga cria risco institucional

Na avaliação do senador, é preciso ter cuidado com as relações institucionais

Envie seu Comentário