PREFEITO E VEREADORES; A corrida começou - Por Valdemir Caldas

PREFEITO E VEREADORES; A corrida começou - Por Valdemir Caldas

No próximo ano, o portovelhense voltará às urnas para escolher prefeito e vereadores. É a oportunidade de que dispõe o eleitor para, por meio do voto seletivo e consciente, corrigir eventuais erros. Oficialmente, ainda não foi dado o tiro de largada, mas, nos bastidores, as articulações e os acordos políticos avançam em ritmo frenético.

No caso especifico da eleição para a Câmara Municipal de Porto Velho, muitos são os que se julgam preparados para ocupar uma das vinte e uma cadeiras do parlamento municipal, mas nem todos têm o conhecimento necessário das nuances da função que pretendem pleitear. Alguns não têm a menor ideia do que seja o papel do vereador. Por conta disso, já tem gente prometendo ao eleitor desavisado aquilo que jamais conseguirá cumprir, uma vez eleito.

Aliás, em quase todo o processo social, onde quer que as relações humanas existam, a hipocrisia costuma relevar-se, sendo, com maior desembaraço no período eleitoral. O eleitor preciso ficar atento para não deixar-se seduzir por promessas vãs e palavras que não encontram correspondência na prática de candidatos.  

A Câmara Municipal de Porto Velo já acolheu em seus quadros homens da têmpera de Abelardo Castro, Cloter Mota, Antonio Serpa do Amaral, Paulo Struthos e João Bento, apenas para ficar nesses cinco exemplos, mas há outros, de memoráveis lembranças. Foram políticos atuantes e versáteis, respeitados, inclusive, por adversários. Ainda hoje, seus nomes são lembrados, como sinônimos de honradez e de coragem.

Quem não sente falta da oratória e da verve de um Lucindo Quintans, sem dúvida um dos melhores oradores da história do parlamento municipal, à época. E o que dizer, também, da lucidez de análise, da intrepidez e do poder de negociação do ex-vereador Paulo Struthos. Independente de coloração partidária ou ideológica, eles souberam exercer com dignidade e brilhantismo o mandato para o qual foram eleitos.

Aos poucos, porém, esse vazio vem sendo preenchido por parlamentares de atuação politica e conduta ética análogas. Poderia citar vários nomes, mas prefiro não fazê-lo, até para não correr o risco de cometer injustiça, apesar de ainda sermos obrigados a ouvir “caputo” ao invés de “caput”, dentre outras baboseiras do gênero. Erra, pois, quem pensa que o eleitor existe para ser enganado. O povo pode – e muito – quando é posto em brios e lhe é assegurado o espaço democrático do livre exercício da vontade. O desempenho de mandatos vinculados aos anseios da população mostrar-se o melhor cabo eleitoral de qualquer candidato. A corrida começou. E o eleitor precisa ficar de olhos abertos e ouvidos aguçados.

Fonte: Valdeir Caldas
Publicada em 19 de dezembro de 2019 às 10:26

 

Leia Também

Deputado Alex Redano assegura material para a educação infantil em Ariquemes

Material paradidático atenderá 2 mil alunos e 150 professores de 21 escolas

Chiquinho da Emater visita Rolim de Moura e assume compromisso com o município

Parlamentar afirma que vai trabalhar pelo desenvolvimento da região

LUTO - Deputado Anderson Pereira lamenta morte do amigo de farda policial penal Juraci Duarte

Juraci ingressou em 2005 na Sejus como agente penitenciário

Projetos de campos de grama sintética avançam na capital

O investimento de quase R$ 800 mil é fruto de emendas do deputado federal Expedito Neto e do então deputado federal Lindomar Garçon, mais contrapartida

Envie seu Comentário