Mulher grávida pula do 2º andar para fugir de cárcere e agressão

Mulher grávida pula do 2º andar para fugir de cárcere e agressão

Uma mulher grávida, que era mantida em cárcere privado pelo seu ex-companheiro, pulou a janela do segundo andar para fugir das agressões do homem neste domingo (18/11/2019). Segundo reportagem do jornal O Tempo, ela era vítima de chutes contra a barriga, socos na cabeça e ameaças de morte. O caso aconteceu em Raposos, região metropolitana de Belo Horizonte.

O suspeito, na sequência, ainda pulou atrás dela e continuou a espancá-la. Ele só parou quando policiais que tentavam negociar a liberdade da mulher chegaram. A vítima tem 23 anos e foi socorrida e enviada ao posto de saúde municipal de Raposos e sobreviveu. Ainda não há informações sobre o estado de saúde do bebê, filho do agressor.

Vizinhos ouviram gritos
Ao ouvir os gritos e os pedidos de socorro da mulher, vizinhos da casa onde ela estava presa acionaram a Polícia Militar. À porta da residência, os policiais encontraram o suspeito agarrando a ex-companheira pelo pescoço, bem na janela.

Fonte: Metrópolis
Publicada em 18 de novembro de 2019 às 08:00

 

Leia Também

Funcionários da Energisa recebem voz de prisão ao trocar relógio-medidor de residência

A polícia militar conduziu todos os envolvidos para a central de polícia.

Polícia Militar do Estado de Rondônia monta estratégia para intensificar segurança neste fim de ano

A Operação Fim de Ano Seguro será lançada no dia 16 de dezembro, às 8 horas, em frente ao Comando-Geral da PM, com foco em proporcionar e ampliar sensação de segurança pública, através das medidas planejadas.

PRF encontra mais de 70 kg de cocaína em carreta com fundo falso

Mesmo questionado pelos policiais, o homem não informou qual seria o destino da carga nem quanto receberia para realizar o transporte

PF desarticula esquema de pagamento de propina a servidores do INCRA, cumpre 5 mandados de prisão e 15 de busca e apreensão

Durante as investigações foi identificado mais de meio milhão em propina para pelo menos seis servidores do INCRA

Envie seu Comentário