Greve dos “estudantes” não tem nada a ver com educação

Greve dos “estudantes” não tem nada a ver com educação

Camisetas vermelhas, bandeiras de movimentos sociais e de partidos comunistas. Esse é o cenário das manifestações que estão acontecendo nesta quarta-feira (15) em vários estados do país. Estudantes paralisaram universidades para bater em um espantalho: o contigenciamento da verba para a educação anunciado pelo governo federal.

O que não está sendo veiculado pela “grande” mídia é o real objetivo dessa paralisação. Militantes esquerdistas convocaram a greve alegando que seriam amplamente prejudicados por um presidente fascista e disposto a evitar o progresso na educação.

A pauta dos “estudantes” é uma só: desestabilizar o governo Bolsonaro. Os gritos de Lula livre se sobrepõem a qualquer sussurro com o tema da educação.

Os estudantes que não estudam querem universidades bocas de fumo, palco de intervenções com nudez e baixaria. Para manter esse cenário caótico é necessário derrubar Bolsonaro e afastar qualquer possibilidade de que a ordem e o progresso prosperem na educação. 

Fonte: Terca Livre
Publicada em 15 de maio de 2019 às 16:19

 

Leia Também

São Lucas oferece bolsas de até 100% para ingressantes com a nota do ENEM

A concessão de bolsas estará atrelada a pontuação obtida no ENEM de 2010 a 2019.

IPAM irá cobrar judicialmente ´assessores de vereadores´ que se beneficiaram do instituto indevidamente

Presidente diz que não há chance alguma de fechamento do instituto

Campanha Troco Solidário Havan arrecada R$ 11,4 milhões em todo o Brasil

Valor contribuiu para a melhoria e o andamento das 206 instituições beneficiadas com a ação em 2019

Após negociação durante a madrugada, transporte coletivo volta circular em Porto Velho

80 funcionários do turno matutino aceitaram voltar ao trabalho, mas a frota continua reduzida por conta das férias escolares.

Envie seu Comentário