Câmara Municipal suspendeu a Sessão Extraordinária de terça-feira que iria aprovar o Projeto de Lei 3914/2019

Câmara Municipal suspendeu a Sessão Extraordinária de terça-feira que iria aprovar o Projeto de Lei 3914/2019

A Câmara Municipal suspendeu a Sessão Extraordinária de terça-feira (09.07) que iria aprovar o Projeto de Lei 3914/2019, de autoria do Executivo, que autoriza a Prefeitura a contrair empréstimo junto à Caixa Econômica, empréstimo da ordem de R$ 75 milhões através do Programa Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento).

Vários municípios rondonienses já contrataram com o Finisa, como por exemplo, Ji-Paraná, que fez um aporte de R$ 1,34 milhão para a construção de uma estação de tratamento de esgoto, em março deste ano. Pelo que foi aprovado na Câmara de Porto Velho, a Prefeitura irá pagar o empréstimo através da retenção de parte do Fundo de Participação do Município (FPM).

A oposição, é claro, desaprovou o projeto autorizativo e pôs toda a culpa na eleição de 2020. Hildon Chaves, segundo alguns vereadores, está com os cofres cheios, principalmente de emendas parlamentares, de modo que não está tão necessitado de recursos a ponto de comprometer o FPM com obras que ele não irá concluir até o fim de seu mandato.

O principal argumento da oposição é que o Município está no Cadin (inadimplente pela não prestação de contas convênios celebrados com a União) e, pode ter o repasse do FPM suspenso, o que lhe deixaria sem recursos para honrar o pagamento do empréstimo. Outro argumento da oposição é que o dinheiro deveria ser utilizado para regularizar principalmente a situação do transporte escolar e reforma das UPA´s que estão sem medicamentos e estrutura de funcionamento.

Fonte: VIA RONDÔNIA
Publicada em 10 de julho de 2019 às 11:19

 

Leia Também

Celular de Paulo Guedes é hackeado, diz assessoria

Informação foi passada pela assessoria do Ministério da Economia que disse que tomará as medidas cabíveis.

Deputado Alexandre Frota diz estar decepcionado com Bolsonaro

Deputado federal, que é do mesmo partido do presidente da República, ainda afirmou sentir "nojo" do bolsonarismo "xiita"

Marcos Rocha veta pelo menos três artigos da lei aprovada na ALE que estabelece diretrizes orçamentárias para 2020

No documento, o governador lista os pontos da lei com os quais discorda e apresenta uma justificativa ao posicionamento.

Vereador da capital enfrenta dois processos na Justiça Eleitoral que podem lhe custar o mandato

O primeiro refere-se a uma Representação Eleitoral por suposta compra de votos. o outro processo que está em tramitação é uma denúncia que está sendo apurada através de um inquérito da Polícia Federal

Envie seu Comentário