Após terremoto, laboratório fala sobre possibilidade de tsunami no Nordeste do Brasil

Após terremoto, laboratório fala sobre possibilidade de tsunami no Nordeste do Brasil

O terremoto de magnitude 5.8 registrado neste domingo (4), no oceano Atlântico, a cerca de 1.191 km da costa da Paraíba, gerou rumores sobre a possibilidade de um tsunami atingir o nordeste brasileiro.

Diversas ilhas do Pacífico e países insulares da Ásia são assolados por ondas e inundações oceânicas de grandes proporções, causadas por tremores e terremotos subaquáticos.

Contudo, o Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN) confirmou ao portal TNH1 que não há possibilidade de tsunami no Brasil.

De acordo com o técnico Eduardo Menezes, do Labsis, os tremores no oceano são frequentes, quase diários, e não devem gerar preocupações.

"Essa região fica exatamente na borda da placa sulamericana, no Oceano Atlântico, entre o Brasil e a África. Não é que não possa gerar [tsunami], mas se fosse mais próximo do continente, haveria maior risco", explicou em entrevista ao TNH1.

Outro motivo por que os tremores nessa região não são perigosos para a costa brasileira é o tipo de movimento feito pelas placas tectônicas. "Os tremores nessa região são transcorrentes; devido ao tipo de falha geológica, as placas deslizam uma em relação a outra. Em outras regiões, por exemplo, no lado do Pacífico, [o movimento é] subducção, quando uma placa mergulha em relação a outra e isso gera ondas", conclui.

Fonte: NOVACRUZ OFICIAL
Publicada em 05 de agosto de 2019 às 15:46

 

Leia Também

Através do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública projeto visa combater crimes organizados na região Norte

Governador Marcos Rocha destacou a importância do Centro Norte para a segurança Pública

Pagamento dos servidores públicos do estado de Rondônia será no dia 20

O aquecimento com o pagamento da folha é de aproximadamente R$ 277 milhões

Sepog divulga PIB dos municípios rondoniense em 2017

Porto Velho, Ji-Paraná, Vilhena, Ariquemes, Cacoal, Jaru, Rolim de Moura, Pimenta Bueno, Guajará-Mirim e Ouro Preto do Oeste aparecem como as principais economias dentre os municípios

´´Brasil está no caminho de um futuro tóxico´´diz relator da ONU

Depois de tentar por cinco anos visitar o Brasil, enviado apontou problemas de transparência, legislação e punição para crimes ambientais

Envie seu Comentário