Adelino Follador cobra agilidade na aquisição de balsa para o rio Jamari

Adelino Follador cobra agilidade na aquisição de balsa para o rio Jamari

Na tarde de quarta-feira (10), o deputado Adelino Follador (DEM) visitou o diretor do Departamento de Estradas de Rodagens, Erasmo Meireles para verificar o andamento do compromisso feito no último dia (5), em uma reunião na Assembleia de Deus em Alto Paraíso.

De acordo com o parlamentar, o diretor do DER garantiu que iria iniciar o processo licitatório para aquisição de uma balsa, tendo em vista que a ponte localizada na RO-459, não resistiu à força da correnteza e cedeu em Alto Paraíso (RO), no Vale do Jamari.

Segundo Adelino, o DER só poderá avaliar o local após o nível do rio baixar. “Sem previsão para construção de uma nova ponte, a sugestão foi usar uma balsa para fazer a travessia como meio provisório. Atualmente, o único acesso até o município se dá pela RO-457, mais conhecida como Travessão B-40, mas a estrada não tem pavimentação e está bem precária”, explica.

Follador relata que esteve no local onde a balsa está sendo preparada, contudo, a previsão para início das operações é de 30 dias. “Enquanto isso, os moradores daquela região seguem sofrendo e enfrentando dificuldades. Vamos cobrar mais agilidade nesse processo, continuar nessa situação por mais 30 dias é inaceitável”, finaliza.

Fonte: Decom/ALE
Publicada em 12 de abril de 2019 às 09:12

 

Leia Também

Conferência da Juventude discutirá políticas públicas para Ji-Paraná

O objetivo, segundo o membro da comissão organizadora, Patrick Magalhães da Silva, é debater políticas públicas para a juventude e elaborar propostas para os próximos dois anos.

PDT se reúne para definir punição a deputada de RO e outros sete que votaram a favor da reforma

Ex-ministro Ciro Gomes defende que todos deixem espontaneamente o partido

Deputado Jhony Paixão garante segunda unidade do Colégio Tiradentes em Jí-Paraná

Inicialmente a escola atenderá 1.400 alunos e seguirá todos os parâmetros metodológicos e educacionais das unidades já existentes.

TCU rejeita pedido de Cassol, mantém multa e proibição de exercer cargo por cinco anos

Cassol atualmente cumpre pena pelo crime cometido entre os anos de 1998 e 2000 quando era prefeito

Envie seu Comentário