POLÊMICA DOS COMPARTILHADOS: Presidente do Sindtaxi teme extinção da categoria dos taxistas em Porto Velho

POLÊMICA DOS COMPARTILHADOS: Presidente do Sindtaxi teme extinção da categoria dos taxistas em Porto Velho

O presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos do Estado de Rondônia (Sindtaxi), Waldiney Filhão, se pronunciou oficialmente esta semana sobre a questão envolvendo a polêmica da regulamentação dos táxis compartilhados em Porto Velho e deixou claro seu temor quanto à possível extinção da categoria.

Segundo ele, o problema todo está sendo gerado pela própria Comissão dos Compartilhados, nomeada para ajudar a resolver a questão.

“Não sou contra os táxis compartilhados, mas da maneira como o processo está sendo feito para beneficiar apenas uma minoria de taxistas e não toda a categoria”, comentou.

Filhão fez várias críticas à comissão dos Compartilhados e diz que seus membros, na verdade, estão enganando os trabalhadores taxistas e que “há uma clara intenção de se criar uma subdivisão da categoria”, lembrando que o mentor da comissão, Chiquinho do Sintax está proibido pela Justiça do Trabalho de falar em nome dos taxistas.

Para o sindicalista, a Comissão é irresponsável e não tem compromisso algum com a categoria, pois a situação dos compartilhados tem levado muito taxista ao prejuízo. Diversos taxistas já foram multados, tiveram o carro apreendido pela Semtran, e correm o risco de ter a concessão cassada por agirem na clandestinidade. “Eu pergunto: quem vai pagar essa conta? O Chiquinho? A Comissão?. Tenho alertado sobre essa situação, mas nunca me deram ouvido. Desde 2015 tenho dito sobre a necessidade de nos unirmos e nos prepararmos para a vinda dos aplicativos. A Comissão tem iludido muitos taxistas mesmo sabendo que o prefeito não irá regulamentar o compartilhado do jeito que está”, ressaltou.

Filhão disse que por trás da aparente luta pelos compartilhados existe uma questão eleitoreira. Ele lembra que os vereadores aprovaram no final do ano passado uma Lei eleitoreira autorizando a Prefeitura a regulamentar o serviço

“Os vereadores fizeram média com os taxistas compartilhados porque estavam em campanha eleitoral. Eles sabiam que a Prefeitura não iria nunca aceitar o compartilhado sem aplicativo. Muitos candidatos acabaram sendo, inclusive, financiados com essa caixinha de campanha do Sintax, mantida com o suor dos taxistas que acreditaram nessa promessa”, denunciou.

Filhão disse ainda que os compartilhados usam o nome do presidente da Câmara, Edwilson Negreiros (que é do ramo do transporte), para enganar os taxistas, no que diz respeito ao cancelamento das multas da Semtran sobre os compartilhados.

“Gostaria que o vereador Edwilson viesse a público dar sua versão sobre isso. Até onde sei não se cancela multa dessa forma”, desafiou.

Ao finalizar, o líder sindical disse que cada segmento do transporte municipal possui seu público e que, infelizmente, o taxista compartilhado vem deixando de atender seu passageiro e indo buscar nas paradas de ônibus, prejudicando também as empresas de ônibus.

“Eles deixaram de atender o público que era fiel aos taxistas, entregando de bandeja para os aplicativo que hoje dominam a praça”, finalizou.

O Sindtaxi já adquiriu uma plataforma de aplicativo para oferecer à categoria taxista. Os interessados devem procurar a sede do sindicato, Joaquim Nabuco, 2631, Centro, ou ligar no 99987 5155 (Filhão).

Fonte: Viarondonia
Publicada em 11 de março de 2019 às 15:06

 

Leia Também

Reintegração de posse em área federal é cumprida próximo a ponte do Rio Madeira

Os proprietários dos imóveis, onde funcionavam estabelecimentos comerciais, haviam sido notificados e não cumpriram as determinações

Nove testemunhas são ouvidas em júri de homem acusado de matar ex-mulher a tiros em RO

Réu ainda não foi interrogado e a previsão é de que o julgamento termine ainda nesta segunda-feira (25), segundo o TJ-RO

Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação nacional dia 30 de março

Governo federal monitora a situação, que tem sido discutida em grupos de WhatsApp da classe

Reforma pode gerar economia de R$ 300 bi em 20 anos para prefeituras

A estimativa é do presidente da entidade,Jonas Donizette, feita durante a 75ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos.

Envie seu Comentário