Após transferência de presos, Exército monta esquema de segurança no presídio em Porto Velho

Após transferência de presos, Exército monta esquema de segurança no presídio em Porto Velho

O Comando da 17ª Brigada de Infantaria de Selva desencadeou nesta quarta-feira (13) a Operação Tranca Forte, para proteger o perímetro externo de segurança da penitenciária federal de Porto Velho, totalizando um raio de dez quilômetros. O uso das Forças Armadas foi autorizado pelo governo federal, para Garantia da Lei e da Ordem (GLO), no período de 13 a 27 de fevereiro de 2019, nos estados do Rio Grande do Norte e Rondônia, por causa da transferência de presos ligados a facções criminosas. 

No total, foram transferidos 22 presos para penitenciárias federais. Segundo o governo, todos são líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Os detentos estavam no presídio de Presidente Venceslau, no interior do estado. Entre os transferidos para Porto Velho, está Marcos Hebas Camacho, o Marcola, considerado o principal líder da organização criminosa.

Marcola não deverá permanecer por um período superior a seis meses na capital de Rondônia.

A intenção é a de que o detento passe por outros presídios federais, o que dificultaria possíveis tentativas de fuga. 

Fonte: Via Rondonia com informações do Rondoniagora
Publicada em 14 de fevereiro de 2019 às 15:34

 

Leia Também

Casal é preso suspeito de abastecer bocas de fumo em Porto Velho

 O casal foi encaminhado ao Denarc e está à disposição da Justiça.

Em Vilhena, PRF prende dois com 13 pedras de diamante

Os sujeitos abordados admitiram explorar o garimpo na região

Líder do PCC, Marcola é transferido de Porto Velho para a Papuda, em Brasília

Ele é apontado pelas autoridades como líder do Primeiro Comando Capital (PCC).

Homem é preso em Porto Velho com cédulas falsas de R$ 100 que foram compradas via internet

Ele fazia comercialização das cédulas pela metade do valor real. 

Envie seu Comentário