Famílias começam ser desalojadas por causa da cheia do Madeira em Porto Velho

Famílias começam ser desalojadas por causa da cheia do Madeira em Porto Velho

Uma grande força-tarefa atua na assistência das famílias desalojadas das áreas de risco no Rio Madeira, em Porto Velho. A Defesa Civil informou que, até o momento, 10 famílias, tiveram que deixar suas casas.

No Baixo Madeira, os distritos de São Carlos, Nazaré e Calama são os mais prejudicados. Só na área urbana da capital rondoniense, mais de 800 famílias residem em áreas de risco.

Devido a cheia, aproximadamente 90 famílias que vivem no ramal Maravilha, na margem esquerda do rio Madeira, seguem isoladas.

O motivo é que as águas do Madeira já alcançaram a estrada de acesso, impossibilitando, assim, a passagem pelo local. O único meio de transporte tem sido o barco.

Na noite de segunda, a defesa pontuou que o nível das águas do Madeira chegou a exatos 16,46 metros, um metro e meio maior do que no mesmo período do ano passado, que registrou pouco mais de 15 metros.

De acordo com o prognóstico divulgado pelo Censipam, o nível do Madeira deve chegar até o mês de março em 17,30 metros.

A Secretaria de Assistência Social e Família (Semasf) deverá ser acionada para direcionar as pessoas a um ginásio, hotel ou escola, por exemplo. Ainda conforme a Defesa Civil, nenhuma até o momento ficou desabrigada.

Fonte: Via Rondonia
Publicada em 12 de fevereiro de 2019 às 15:20

 

Leia Também

Detran destaca Dia Nacional do Ciclista e alerta para os cuidados no trânsito

Dia 19 de agosto comemora-se o Dia Nacional do Ciclista

Menos burocracia em Vilhena para abrir empresas: Prefeitura e Sebrae divulgam processo simplificado

Processos para liberação de alvarás de empresas com baixo risco pode ser simplificado

Bazar da Solidariedade recebe doação especial da CBF com itens originais da Seleção Brasileira de Futebol

A equipe coordenadora avaliará a possibilidade destes itens especiais da CBF integrarem o acevo do leilão presencial que será realizado no evento.

Candidatos a imóvel do Cristal da Calama têm novo prazo para assinar contrato sob pena de serem substituídos

A Seas alerta que o atendimento se dará a partir da próxima segunda-feira (19) até o dia 26 de agosto

Envie seu Comentário