Postagem sobre suposta compra de votos na Assembleia pode acionar a Polícia

Postagem sobre suposta compra de votos na Assembleia pode acionar a Polícia

Devido às negociações em andamento envolvendo a eleição da próxima mesa diretora da Assembleia Legislativa, a postagem de um jornalista causou alvoroço nos corredores da Casa de Leis. No post, é citado que um deputado estaria comprando votos para presidente do Legislativo, e ainda por cima estaria gravando os colegas com quem supostamente negocia.

A postagem pode apressar uma operação policial na Assembleia, uma vez que a prática de comprar votos na eleição da mesa diretora já teria sido adotada anteriormente, incluindo confinamento de deputados em uma fazenda. Depois disso, aconteceram prisões na Casa de Leis.

Um dos maiores escândalos envolvendo Rondônia foi protagonizado no mandato do ex-presidente da Assembleia Legislativa, Carlão de Oliveira, quando uma quadrilha tentou tirar do poder o então governador Ivo Cassol.

Se o então governador não tivesse aparecido no programa Fantástico, da TV Globo, mostrando gravações de vídeo, teria o mandato cassado pela quadrilha.
Na ocasião, os deputados liderados por Carlão de Oliveira pediam propina em troca de apoio político. Como Cassol não pagou, por pouco não sofreu impeachment.

Hoje há dois grupos tentando obter o comando da mesa diretora da Assembleia. Em um deles está o deputado José Lebrão (MBD), e no outro estão Jean Oliveira (MDB), filho do ex-presidente preso Carlão de Oliveira; Laerte Gomes (PSDB) e Alex Redano (PRB).

Jean, Laerte e Redano já se reuniram diversas vezes com outros deputados, na Assembleia Legislativa mesmo. Há rumores de que um dos grupos estaria com muito dinheiro, resultante de precatórios.

Fonte: VIA RONDÔNIA
Publicada em 04 de dezembro de 2018 às 10:21

 

Leia Também

Em Brasília, Edwilson Negreiros luta por recursos para Porto Velho

Na tarde de quarta-feira, 13, Edwilson foi recebido em audiência pelo senador Marcos Rogério

Pressionado no Congresso, governo avalia lotear cargos no 2º escalão

Governistas vão tentar evitar que distribuição soe como fisiológica

Pela segunda vez, Gilmar Mendes manda soltar prefeito de Mauá (SP)

Alvo da Operação Trato Feito, deflagrada em maio, o político é acusado de ser beneficiário de um mensalão de R$ 500 mil, supostamente pago por um grupo de nove empresas fornecedoras da administração municipal

Bolsonaro define idades mínimas de 62 e 65 anos na Previdência

Decisão foi tomada após reunião com a equipe econômica, na tarde desta quinta-feira (14)

Envie seu Comentário